Vídeo em destaque

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Padre Corajoso


Recebi esse texto por e-mail e não poderia jamais deixar de reproduzi-lo aqui. Como de costume, não fiz nenhuma alteração. É antigo mas vale a pena ler. Parabéns ao padre pela excelente colocação.

Boa leitura!!!



O Ministério Público Federal de São Paulo ajuizou ação pedindo a retirada dos símbolos religiosas das repartições publicas. Pois bem, veja o que diz o Frade Demetrius dos Santos Silva.


“Sou Padre católico e concordo plenamente com o Ministério Público de São Paulo, por querer retirar os símbolos religiosos das repartições públicas…Nosso Estado é laico e não deve favorecer esta ou aquela religião. A Cruz deve ser retirada! Aliás, nunca gostei de ver a Cruz em Tribunais, onde os pobres têm menos direitos que os ricos e onde sentenças são barganhadas, vendidas e compradas. Não quero mais ver a Cruz nas Câmaras legislativas, onde a corrupção é a moeda mais forte. Não quero ver, também, a Cruz em delegacias, cadeias e quartéis, onde os pequenos são constrangidos e torturados. Não quero ver, muito menos, a Cruz em prontos-socorros e hospitais, onde pessoas pobres morrem sem atendimento. É preciso retirar a Cruz das repartições públicas, porque Cristo não abençoa a sórdida política brasileira, causa das desgraças, das misérias e sofrimentos dos pequenos, dos pobres e dos menos favorecidos.”


Frade Demetrius dos Santos Silva.
São Paulo/SP


Um abraço a todos!

Marconi BS Costa

2 comentários:

  1. Também não gostei da decisão do MPF de São Paulo em remover os símbolos religiosos das repartições públicas. Mas, usando de imparcialidade, cabe uma pergunta: Se os símbolos ritualísticos fossem predominantemente os de candomblé, ao invés de cristãos, nossa postura seria de revolta ou de alívio? E se o manifesto acima fosse de um pai de santo (para a hipótese que citei), ao invés de um padre, enxergaríamos nele uma postura corajosa ou arrogante?

    ResponderExcluir
  2. Cara, a pergunta é pertinente mas o pressuposto é equivocado! Uma grande parte dos símbolos cristãos pressupõem características como piedade, sacrifício, rendição, etc. Já símbolos do candomblé remetem imediatamente à espíritos malignos e rituais que envolvem práticas absolutamente reprováveis. Só é vc ir na Bahia ou em qualquer terreiro. Visitando Salvador em 2010, eu 'quase' entrei no Museu do Estado. Simonne e minha mãe entraram e lá só havia esculturas de entidades. Esculturas em tamanho real com várias informações: nome, 'função', etc. Se símbolos desse tipo fossem expostos por aí, acredito particularmente que não seria nada agradável. Espero que jamais símbolos dessa natureza apareçam em qualquer repartição pública. Se os símbolos do candomblé fossem agradáveis e remetessem à coisas boas eu consideraria a atitude de um pai de santo corajosa, mas não sentiria nenhuma revolta (como não sinto agora com a decisão do MPF/SP). Admiro as palavras do padre pq acho incoerente não apenas a decisão do MPF/SP mas tb a associação de 'símbolos' do cristianismo com esse tipo de instituição.

    ResponderExcluir