Vídeo em destaque

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Classificação de Países por Perseguição 2013!



Anualmente, a Missão Portas Abertas publica uma lista com o ranking dos países de maior perseguição ao cristianismo no mundo. Os dados citados nesse post estão disponíveis nos seguintes endereços:

  1.       http://www.portasabertas.org.br/cristaosperseguidos/classificacao/
  2.  http://www.portasabertas.org.br/cristaosperseguidos/classificacao/formacao/
  3.  http://www.portasabertas.org.br/noticias/2013/01/2001038/

 Diante de um quadro tão desafiador, é extremamente contraditório e paradoxal a igreja evangélica direcionar seus maiores esforços missionários aos países mais evangelizados do mundo. É como se uma pessoa estivesse procurando emprego numa região com pouquíssimas oportunidades mesmo sabendo de outras localidades com chance maior. Parece que a igreja não entendeu que missões não é turismo e que os países menos evangelizados do mundo ainda continuam concentrados na famosa janela 10x40. Quando o ibope não for mais relevante para os crentes, os povos não alcançados poderão receber algum investimento à altura. Por enquanto, as estatísticas continuarão nos desafiando. Segue abaixo a reportagem da Missão Portas Abertas.
(clique na imagem com o botão direito e escolha a opção 'abrir em nova janela')


Já está no ar a Classificação de Países por Perseguição 2013! (WWL* 2013)
*WWL: World Watch List – Lista de Monitoramento Mundial
Esse ano entraram cinco novos países no ranking, um deles, inclusive, direto no TOP 10 (Mali). As mudanças mais significativas se dão por conta de uma nova forma de classificar os países. Em 2013, o relatório está mais aprofundado; leva em conta o contexto e as diferenças de perseguição de acordo com as comunidades hostilizadas
Há anos, a Portas Abertas encontrou uma maneira prática e eficaz de distinguir situações e delinear prioridades para ações e projetos: a Classificação de Países por Perseguição; um levantamento fundamental para determinar onde a necessidade de cristãos é mais urgente.
Como funciona? O ranking dos 50 países considera os graus de perseguição (concentrada, moderada, severa, extrema e ilimitada) e divide o contexto da perseguição em diferentes áreas: vida privada, familiar, em comunidade, nacional e com a igreja. Além de casos de violência física e outras informações que contribuem para classificar os países e determinar onde é mais difícil ser cristão.
Por meio de um questionário elaborado pelo departamento de pesquisa da Portas Abertas Internacional, todas essas respostas são coletadas em campo e processadas por níveis, gerando a lista que você poderá conferir na página dedicada a esse tema e que, claro, não poderia deixar de ser nomeada: Classificação de Países por Perseguição (WWL).
         Em 2013, os cinco países onde os cristãos não têm praticamente nenhum espaço são:
1. Coreia do Norte
2. Arábia Saudita
3. Afeganistão
4. Iraque
5. Somália
         Além dessas, outras 45 nações devem entrar na sua lista de oração. Regimes extremistas, sejam eles da orientação política que for, em geral, são contra o cristianismo e a pregação do evangelho. Você sabe por quê? Porque ao seguirem Jesus, os cristãos conhecem a verdade que liberta! Ore pelos servos do Senhor que aceitam o desafio de se deixarem gastar pela obra e pelo crescimento da Igreja em seus países.
         Para ilustrar tudo isso, preparamos um material completo a ser divulgado ao longo das próximas semanas. Você terá acesso a um mapa para download, vídeo explicativo, infográficos, atualização dos perfis de países e pedidos de oração.
         Enquanto trabalhamos nessas publicações, junte-se a nós em oração: dedique um tempo de estudo sobre a lista que já divulgamos e desafie-se a interceder por cada um dos 50 países citados, para que os cristãos perseverem na fé em Cristo e para que, através de seus testemunhos, outras vidas sejam alcançadas. Somos UM COM ELES!

Classificação de Países por Perseguição 2013
Com base em experiências de campo, anualmente, a Portas Abertas publica uma lista com os 50 países mais opressores ao cristianismo. Há três principais objetivos para esse levantamento: fazer dessa classificação um instrumento mais preciso de medição da extensão da perseguição aos cristãos hoje; determinar onde a necessidade é mais urgente e; assim, planejar melhor projetos e ações.
      Perseguição é "toda e qualquer hostilidade vivenciada em qualquer lugar do mundo, como resultado da identificação de uma pessoa com Cristo. Isso inclui atitudes, palavras ou ações hostis contra os cristãos, partindo de fora do cristianismo ou em meio a ele". Ron Boyd-MacMillan.
         Em comparação ao ano anterior, a Classificação de Países por Perseguição, originalmente chamada de World Watch List - WWL, chegou em 2013 com alterações significativas e destaques bastante curiosos; a começar pela maneira com que a listagem foi feita.
     A explicação é bastante simples: até 2012, o questionário elaborado pela Portas Abertas, que considerava as áreas onde a perseguição religiosa era mais latente, era composto por perguntas genéricas, rápidas, e não muito aprofundadas. Para a classificação desse ano, o questionário apresentado aos cristãos em campo foi reestruturado e alguns fatores e detalhes foram postos na balança. O relatório passou a considerar dois aspectos da perseguição religiosa: o contexto da perseguição e as diferenças de perseguição de acordo com as comunidades hostilizadas.
         Por esse motivo, esse ano surgiram importantes mudanças nas dez primeiras posições, com novos países que passam a integrar o quadro dos 50 mais intolerantes à fé cristã. Ao comparar a classificação de 2013 com a de 2012, atente-se aos seguintes destaques:

  • Países novos entraram na lista: Mali (7ª), Tanzânia (25ª), Quênia (40ª), Uganda (47ª) e o Níger (50ª). 

  • Como já citado, o Mali, na África, que não apareceu em classificações anteriores, já chega ocupando a 7ª colocação. Isso se deu porque, após um golpe militar de Estado em março de 2012, o país vive hoje um momento de tensões e mudanças políticas, o que reflete diretamente na perseguição à Igreja. O norte foi dominado por milícias islâmicas e, portanto, todas as igrejas dessa região foram destruídas e milhares de cristãos tiveram que fugir para o sul ou para países vizinhos.

  • Há onze anos consecutivos, a Coreia do Norte figura em primeiro lugar no ranking.
  • O Iraque está agora no TOP 5 do ranking. Pulou da 9ª para a 4ª posição no quadro geral. Desde 2003, quando a invasão liderada pelos EUA derrubou o regime de Saddam Hussein, os cristãos tem sido alvo constante de grupos radicais islâmicos que atuam no país.
  • A Síria subiu 25 posições, a Etiópia 23 e a Líbia 9, o que significa que a perseguição nesses países se intensificou.
  • A Nigéria se manteve no 13º lugar, mas a perseguição que antes era considerada somente no norte do país, agora se expandiu para todo o território.
  • A China desceu do 21º lugar para o 37º e o Egito do 15º para o 25º. Entenda, porém, que essas alterações nas posições não significam, necessariamente, uma melhora na perseguição religiosa na China e no Egito, especificamente. O que acontece é que, devido à mudança na forma de classificação dos países, em alguns lugares a perseguição religiosa é maior do que nessas nações, o que fez com que muitos países descessem no ranking sem que a hostilidade aos cristãos tenha diminuído de fato.
O esclarecimento acima pode aclarar também porque alguns países deixaram o ranking, mas não devem sair da sua lista de orações, já que a perseguição não acabou. São eles: Cuba, Bangladesh, Chechênia, Turquia e Belarus. É, novamente, a nova maneira de aferir a perseguição que provocou tal movimento na tabela. Relatos do campo informam que, sim, em determinados países, como a China, há sinais de melhora, mas, mesmo assim, as pressões contra minorias religiosas permanecem.
         A boa notícia é que a perseguição tende a estar relacionada com o crescimento e o testemunho, e normalmente refina e fortalece a fé dos cristãos, não o oposto. Por isso, em geral, o aumento das pressões contra o cristianismo mostra que a Igreja está crescendo.
RANKING 2013 / 2012
(clique com o botão direito na imagem e escolha a opção 'abrir em nova janela')
Como a classificação é formada?
Ao chegar a um país, a Portas Abertas procura os cristãos locais e lhes pergunta como pode ajudá-los. Em 95% dos casos, esses cristãos pedem oração. O segundo pedido sempre é por Bíblias, materiais de estudo e treinamento.
         A Portas Abertas seleciona os países que irá ajudar a partir dos seguintes critérios:
  • ·       A Igreja local pode extinguir-se caso não haja ajuda externa.
  • ·       A obtenção de Bíblias não é possível por meios oficiais.
  • ·       Existe possibilidade logística (condições de transporte, armazenagem e distribuição dos materiais).
  • ·       O país está em localização estratégica e recebeu a solicitação de irmãos locais.
A Portas Abertas não atua diretamente nos 50 países da lista, mas acompanha a situação em todos eles. Atualmente a WWL é resultado de uma ampla pesquisa realizada no campo, através de contatos locais, colaboradores da organização e equipes capacitadas. Os nativos e estudiosos respondem a um questionário elaborado em seis blocos:
·       Vida privada
·       Vida familiar
·       Vida em comunidade
·       Vida nacional
·       Vida com a igreja
Outros:
·       Violência física
Cada bloco possui um número determinado de perguntas, e cada resposta positiva vale um ponto (confira a pontuação total na tabela). As respostas a essas questões oferecem um bom vislumbre sobre a falta de liberdade de opção religiosa e prática da fé.
       Quanto mais pontos um país recebe, pior a situação. Dessa forma, a Portas Abertas resolveu o problema de comparar países entre si e montou uma lista com maior objetividade. Com uma rede internacional de informantes, a organização publica uma atualização da lista todos os anos.
        O procedimento é executado desde 1993. Desde janeiro de 2003 a Classificação de países por perseguição é atualizada uma vez ao ano, e em 2012, a pesquisa foi feita de forma mais precisa e aberta, para aumentar a credibilidade e servir de fonte de informação e referência para todos que estão interessados no tema de liberdade religiosa.



Nenhum comentário:

Postar um comentário