Vídeo em destaque

sábado, 26 de outubro de 2013

A diferença entre religião e revelação



  
         Tem surgido no mundo inteiro um forte sentimento antirreligioso que se opõe veementemente a tudo que faz referência a uma divindade. O movimento neoateísta apesar de não ser verdadeiramente ateu, é anticristão e antirreligioso. Essa aversão à religião tem algumas razões com as quais eu compartilho, contudo, devo apontar que há uma gigantesca diferença entre religião e revelação. O termo revelação aqui pode ser trocado por outros como Evangelho, Jesus Cristo, graça, fé, amor, etc. Meu objetivo é deixar bem claro que religião e o verdadeiro Deus não tem relação nenhuma. Enquanto a religião é algo essencialmente humano, a revelação é algo inquestionavelmente divino. A incompatibilidade existente entre religião e ciência, não se observa entre fé e ciência, por exemplo. Revelação não é incompatível com ciência, mas é diametralmente oposto à religião.


Como a maioria das pessoas não sabem este conceito, elas acabam julgando e interpretando Deus pelo véu da religião. A religião transforma Deus em uma caricatura deformada e somente a revelação mostra de fato quem Ele é. Uma vez que ateus, incrédulos e antirreligiosos desconhecem totalmente esse conceito, eles cometem vários equívocos em suas afirmações e colocações. Se eles conhecessem a Cristo por meio da revelação e não pela religião, eles saberiam separar as duas coisas. Essa colossal aversão à religião não tem relação com a revelação. As pessoas que odeiam a religião estão odiando algo totalmente humano e não divino.
         Abaixo enumero algumas diferenças essenciais entre religião e revelação:

          Religião - aprisiona e escraviza, cega e deturpa, explora e manipula, deforma e desfigura, corrompe, perverte, condena, engana, ilude, divide e separa, enfraquece, diminui, etc.

          Revelação - liberta e emancipa, esclarece e ilumina, promove e abençoa, informa e instrui, constrói, edifica, cura, alivia, renova, nutre e alimenta, restaura, pacifica, une e agrega, fortalece, estrutura, consolida, acrescenta, etc.


         A suprema revelação de Deus se encontra em Jesus Cristo e não nas religiões que derivaram de crenças n’Ele (Hb 1.1-3; Jo 14.8-11). Uma vez que as religiões cometem vários equívocos com as pessoas, as vítimas acham que Deus é o culpado. Elas não sabem separar Deus da religião. Enxergar Deus pelo véu da religião, turva Sua natureza e O transforma em uma caricatura bastante desagradável.
         Veja o que a Bíblia ensina sobre a revelação de Deus em alguns versículos: Is 46.9,10; Am 3.7; Mt 10.26; 11.27; 16.17; Jo 1.18; I Co 2.10; Gl 1.11,12,15-17; 2.1,2; Ef 1.17; 3.3; Ap 1.1. Quem deseja conhecer Deus deve olhar pra Jesus e não para as religiões que professam o Seu nome. Essa percepção e sensibilidade quase ninguém tem, mas ela pode evitar que você culpe Deus por coisas que Ele não é responsável. As mazelas humanas produzidas pela religião não podem ser interpretadas como ações divinas. Um exemplo triste disso foi a inquisição católica. A inquisição católica é uma prova clara que Deus não tem nenhuma associação com essas instituições religiosas, mas pode ter com pessoas que fazem parte delas. Na religião prevalecem as vontades e decisões humanas, na revelação prevalece a vontade divina. Perceba que na época em que Cristo esteve entre nós, os maiores perseguidores que Ele teve eram religiosos (Mt 12.22-32; 19.3-12; 21.33-46; Lc 20.20-26; Mt 22.41-46; Mc 14.53-65; 15.10; Mt 27.39-43; 28.11-15; Lc 11.53,54; 13.10-17; Jo 5.8-18; 7.31-52; 9.1-34; 11.45-57; 12.9-19; 12.37-43). Portanto, entenda que religião se opõe à revelação por esta não ser conveniente aos interesses daquela. A religião não suporta a verdade, não suporta a ciência, não suporta a revelação, não suporta a transparência, não suporta a razão, a investigação, a análise, a pesquisa, etc. Isso porque a religião caminha segundo os interesses pessoais de alguns e não segundo os critérios do Evangelho de Jesus Cristo. É por isso que há tantas religiões, há um número tão grande de religiões quanto tão grande é o interesse particular e pessoal de cada pessoa. As pessoas querem uma religião que agrade aos seus interesses pessoais e não segundo a verdade do Evangelho.
         Logo, antes de você julgar a verdadeira fé, o verdadeiro Deus, o verdadeiro Evangelho, a verdadeira revelação e o verdadeiro Senhor Jesus Cristo, saiba distingui-los e separá-los daquelas religiões que dizem que O representam. Há uma imensa diferença entre dizer que representa a Deus e de fato representá-Lo. Posso afirmar com pequena margem de erro que não há nenhuma instituição na Terra que transmita a verdadeira natureza de Deus. Você pode encontrar pessoas que refletem o caráter do Altíssimo, mas não instituições. Isso porque o compromisso das instituições não é com os princípios do Evangelho, mas com os princípios administrativos do sucesso e do brilhantismo. Nestas instituições, o proselitismo prevalece sobre o verdadeiro evangelismo e o nome e esplendor da instituição são colocados acima de qualquer coisa. É por isso que se observa tanta tolice sendo feita e praticada em nome de Deus.
         Peço encarecidamente aos leitores e em particular aos ateus, neoateus, antirreligiosos e incrédulos, que antes de julgar Deus procurem conhecê-Lo pessoalmente sem o véu da religião. A religião irá transforma você em uma pessoa pior, mas a revelação (Jesus Cristo) irá transformar você em uma pessoa melhor. Essa percepção falta a muita gente. Acredito que haja uma parte dos ateus, neoateus, antirreligiosos e incrédulos que é sincera e que se desiludiu com a religião. É especialmente a estes a quem me dirijo e afirmo: não tenho nenhuma simpatia com a religião e nenhum interesse em me associar com uma. Porém, tenho grande simpatia com Deus, Evangelho, Jesus Cristo, amor, caráter, revelação, fé, etc. É isso que desejo estimular para que busquem.
         Busquem a Deus, busquem a Cristo, busquem o amor, busquem a fé genuína e pura, tenham caráter honesto, santidade, verdade, justiça, e sobre tudo isso, busquem a vontade de Deus. Quando você o conhecê-Lo pessoalmente irá descobrir que nenhuma religião do mundo pode se comparar ao que Ele de fato é. Há uma grande diferença entre conhecer a Deus e conhecer o que algumas instituições ensinam sobre Ele. Busque a Deus de todo o coração e Ele se deixará achar, ou seja, Ele se revelará a você (Jo 14.21). Neste momento, você descobrirá que não existe nenhuma incompatibilidade entre Deus e ciência, entre fé e ciência, etc. Essa descoberta pode mudar muita coisa em sua vida.

Um abraço a todos.

Marconi BS Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário