Vídeo em destaque

terça-feira, 17 de junho de 2014

Uma palavra não convencional sobre namoro









        Confesso que tô um pouco cansado desse blá blá blá sobre namoro que frequentemente surge na internet e em alguns debates. Em geral, a galera tenta dar uma receita e algumas dicas para os jovens não entrarem numa fria. A proposta é boa, mas não satisfatória. Vou expor aqui o meu parecer que levei alguns anos p/ desenvolver. Devo dizer que ele leva em conta a minha própria experiência, os princípios ensinados na Bíblia, alguma observação das experiências alheias e uma dose de sensatez.
        Direto ao ponto: há uma ideia equivocada de que existe namoro santo. É impossível ter um namoro santo fora do casamento, pois para ter acesso aos privilégios do namoro, é preciso CASAR! E os jovens querem namorar mesmo sem casar, querem namorar apenas p/ não ficarem sozinhos. Fora do casamento nenhuma prerrogativa do namoro se sustenta. Beijar, abraçar, acariciar, tocar, alisar etc. são estímulos INEVITÁVEIS em um namoro e eles não são lícitos sem a aliança do casamento.
O sexo com penetração não é a única forma de contato ilícita fora do casamento. Intimidade aponta apenas em uma direção: a do aumento. Beijar, abraçar, acariciar, tocar etc. fora do casamento, desperta desejos que não podem ser supridos sem que sejam cometidos pecados. Além disso, o sexo não se resume à penetração. A atividade sexual inicia muuuuuuuuuuito antes de uma penetração e já traz consigo toda a carga que antecede o ato sexual.
Beijos, abraços, carícias e toques só podem ser usufruídos dentro da aliança do casamento e não somente o sexo com penetração. Quem não deseja cumprir os deveres do casamento, perde o privilégio de desfrutar os direitos que ele proporciona. Infelizmente, a cultura liberal está invadindo a igreja e os princípios do Reino de Deus estão sendo traídos. É nesse momento que a gente percebe que uma igreja cheia não significa nada! Nesse contexto, se faz uma série de recomendações para evitar que um casal não caia em fornicação. Dentre elas, a mais frequente é que o jovem deve casar logo, pois é perigoso namorar durante muitos anos. Embora pareça espiritual, essa recomendação é totalmente pueril. Dizer a um jovem que namore mas não avance na intimidade, é como colocar uma suculenta fatia de carne na frente de um cachorro faminto e dizer: não coma! Ou seja, pura tolice! Se você não está casado, então não tem direito às prerrogativas do namoro. Lembre de Salomão: ​A posse antecipada de uma herança no fim não será abençoada (Pv 20.21). Namorar sem casar é ter acesso antecipado a uma herança e no fim se torna ilegal.
Quer ter um namoro santo, CASE! Siga estas instruções: prepare-se para a vida (estudando e trabalhando), pratique um esporte, aprenda outro idioma, tenha amizades saudáveis, se envolva em alguma atividade na igreja etc. Acima de tudo: torne-se um bom candidato! Lembre: casamento não é apenas uma questão de encontrar a pessoa certa, mas de ser a pessoa certa. Portanto, torne-se alguém que valha a pena casar, torne-se um bom pretendente e provavelmente você encontrará alguém à altura. Depois de casar NAMORE MUUUUUUUUUUUUUUUUUUUITO! FAZENDO ASSIM, você terá um namoro santo. SEM RESENHA!!!
E o que fazer ao encontrar a pessoa certa? Simples: comprometa-se com ela. Para se comprometer é desnecessário beijar, abraçar, acariciar etc. EXATAMENTE como exemplifica a Bíblia (Gn 24; Lc 1.26,27), assumir um compromisso com alguém para casar não é preciso namorar antes. Pode namorar depois de casar! Na proposta de Deus existe o compromisso (equivalente ao nosso noivado), mas não há namoro antes do casamento. Namoro antes do casamento é uma invenção humana, não tem nada haver com a ideia divina. Ao encontrar a pessoa com quem pretende casar, faça isso: estude, trabalhe, junte dinheiro, planeje, procure saber como essa pessoa trata a família (e amigos, parentes, vizinhos) etc. Uma quantidade gigante de problemas seria evitada se adotássemos o padrão bíblico, mas hoje o padrão bíblico ficou obsoleto. As pessoas querem estar antenadas com a modernidade. A geração pipoca de micro-ondas não aprendeu a ser cristã, aprendeu a ser evangélica. Mas os princípios eternos de Deus continuam sendo a melhor maneira de não se meter numa fria.

Um abraço a todos.

Marconi BS Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário