Vídeo em destaque

quarta-feira, 10 de abril de 2013

+ do mesmo!



         Recentemente no programa do Fantástico, a rede Globo exibiu uma reportagem promovendo o ativismo gay e criticando com muita sutileza o pastor e deputado federal Marco Feliciano. A postura da Globo não é nenhuma novidade diante de terríveis ataques contra os evangélicos promovidos pela mesma. O motivo que me leva a escrever sobre este caso não é a rede Globo, mas a igreja. A forma como a igreja se comporta e reage diante de tantos ataques e jogos.



A Globo pode fazer o que quiser: ridicularizar os evangélicos em novelas, minisséries e programações, promover a ditadura gay, zombar dos princípios do Reino de Deus, escarnecer os pregadores do Evangelho, favorecer os opositores da igreja, divulgar a destruição familiar, exibir cenas de sexo em horário inadequado, etc. NÃO TEM PROBLEMA! Depois ela só precisa oferecer as migalhas de um tal “troféu” promessas que os evangélicos vão correndo atrás como se fossem cachorrinhos famintos. A mendigagem da igreja por audiência atinge níveis inaceitáveis. É isso que me deixa decepcionado.
A igreja evangélica brasileira possui mais de 50 milhões de membros e daqui a alguns anos será mais de 100 milhões. O Brasil terá a maior igreja evangélica do planeta! Em nenhum momento a igreja precisou da Globo para crescer e continua não precisando. Contudo, o comportamento dos evangélicos nesse quesito é vergonhoso. De alguma maneira a Globo sabe que a coisa mais fácil do mundo é comprar os evangélicos com cargos, posições, visibilidade, influência, etc. O fato dela ridicularizar e zombar da igreja é totalmente irrelevante, contanto que ofereça algumas migalhas, ela sempre terá a fidelidade dos cristãos.
Acredito que ela está fazendo o papel que lhe cabe, quem não está cumprindo seu papel com dignidade é a igreja. Uma vez que somos mais de 50 milhões poderíamos ter uma reação simples e digna: não assistir mais a Globo durante o período que for necessário. O efeito seria imediato. A população brasileira não sabe, mas tem o poder nas mãos de confrontar qualquer mídia: TV, jornal, revista, rádio, internet, etc. NENHUMA FORMA DE MÍDIA É MAIOR DO QUE O POVO BRASILEIRO. É só boicotar! Basta apenas não dá audiência, não comprar o jornal e a revista, não acessar o site, não ouvir a rádio, não assistir o canal, não consumir os produtos da empresa, etc. Essa é uma forma digna de retaliação, sem baixaria, sem discussões, sem confrontos verbais.
A igreja evangélica brasileira está a quilômetros de distância dessa realidade. Enquanto a igreja estiver à venda da audiência, da visibilidade e dos holofotes, os meios de comunicação vão continuar pintando e bordando. Seremos sempre arrasados pela mídia. Contudo, quando a dignidade for de fato relevante para a igreja e a aprovação do mundo não fizer mais diferença, aí estaremos prontos para dar uma lição inesquecível. Mas até lá, vamos continuar presenciando a mídia pisar na igreja e depois colocar chiclete, bombom e pirulito em sua boca.


Um abraço a todos.

Marconi BS Costa




Nenhum comentário:

Postar um comentário